Famosa ária da ópera A Flauta Mágica é destaque do novo vídeo do #palacioemsuacompanhia

24/05

Exibição nas Mídias Sociais da Fundação Clóvis Salgado | facebook.com/fundacaoclovissalgado e no Instagram (@fcs.palaciodasartes)

Mais do que uma tradição da Fundação Clóvis Salgado, a produção de óperas é um importante marco da instituição, que realiza duas montagens anuais. Com o fechamento dos teatros, devido ao início das medidas de isolamento social, a FCS lança, pelas redes sociais Facebook e Instagram, no próximo domingo (24), um vídeo com produção pioneira no país para a interpretação operística feita durante a quarentena, por meio do projeto #palacioemsuacompanhia. Trata-se de uma gravação marcante da composição mais famosa de Wolfgang Amadeus Mozart, a ária A Rainha da Noite (Der Hölle Rache), da ópera A Flauta Mágica (Die Zauberflöte), composta em 1791. A ária é interpretada pela soprano Daiana Melo, integrante do Coral Lírico de Minas Gerais e detentora de timbre vocal privilegiado, em parceria com músicos da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais.

O vídeo foi gravado no palco do Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, com equipe reduzida e cuidados reforçados para higienização e segurança dos funcionários. No palco, apenas a solista e dois integrantes da equipe de filmagem. Os músicos da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais gravaram separadamente, cada um em sua residência. Os responsáveis pela produção e edição do vídeo também fazem parte da OSMG: Alysson Rodrigues (viola) e Sérgio Rabello (violoncelo).

Segundo o maestro Sílvio Viegas, que assina a direção musical do vídeo, a produção é uma forma de homenagear todos aqueles que participariam da montagem da Fundação Clóvis Salgado para A Flauta Mágica, anteriormente programada para estrear nesse mês de maio de 2020. “Estávamos preparando uma montagem belíssima, que foi cancelada devido às medidas de isolamento. Mas não podemos deixar de celebrar a arte que tanto amamos e produzimos com tanto empenho há quase 50 anos”, ressalta Viegas. “Os músicos da Orquestra Sinfônica e a solista Daiana Melo apresentam a mais famosa ária de Mozart em homenagem a toda comunidade artística que resiste e tanto alegra nosso público. Afinal, não é possível ficar sem ópera no Palácio das Artes!”, comemora o regente.

 

Produção adaptada

 

Daiana Melo, presença única no palco, conta que o vídeo foi um desafio extremamente enriquecedor. “Quando recebi o convite, topei imediatamente. Realizamos algumas reuniões remotas, e planejamos com cuidado toda a organização da gravação. Aprendi a fazer minha própria maquiagem e a arrumar o cabelo conforme a personagem, e selecionei um vestido pessoal para o figurino, já que não haveria uma equipe especializada para definir os adereços”, revela.

Daiana diz ter sentido toda a potência do vídeo logo na chegada ao Palácio das Artes, mesmo antes da gravação. “Foi uma experiência complexa. Ao ver a casa completamente vazia, fiquei profundamente tocada. Nós, artistas e funcionários administrativos, estávamos diariamente naquele espaço, convivendo com uma grande quantidade de pessoas. Tive uma percepção imediata do papel fundamental da arte na vida de cada um atualmente, e da importância de continuarmos produzindo obras tão sensíveis”, ressalta a cantora.

Segundo a solista, a forma como o roteiro foi conduzido levará todos a refletirem sobre o momento atual, além de reconhecerem a importância dos artistas e do acesso ao teatro. “Deixamos clara não só a magnitude de cada músico da OSMG, mas de todos os funcionários presentes no backstage de uma ópera”, explica Daiana. “Mesmo com todas as dificuldades, não podemos deixar nossa arte perder a força num momento como esse, em que todos estão fragilizados e passando por dificuldades que nem temos capacidade de mensurar. É nesse momento que entramos como um respiro, com arte e, de forma essencial, como uma porta para a reflexão”, ressalta.

 

#PALÁCIOEMSUACOMPANHIA

 

A diversidade cultural do Palácio das Artes encanta o público mineiro há décadas. Agora, no período de isolamento social, o propósito é levar cultura a cada um, no aconchego de casa! Desde o dia 3 de abril, a Fundação Clóvis Salgado realiza o projeto PALÁCIO EM SUA COMPANHIA, que leva ao público diariamente a arte dos Corpos Artísticos (Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Coral Lírico de Minas Gerais e Cia. de Dança Palácio das Artes), dos alunos e professores do Cefart e demais atividades culturais, por meio do Facebook, Instagram, YouTube e Vimeo.

 

A Flauta Mágica (Die Zauberflöte)

 

Ópera em dois atos do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, com libreto alemão de Emanuel Schikaneder. Estreou em Viena, no dia 30 de setembro de 1791. A ópera trata da filosofia do Iluminismo e dos conceitos tratados pela Revolução Francesa (liberdade, igualdade e fraternidade). A Flauta Mágica possui algumas das árias mais conhecidas de todo repertório erudito, como o dueto de Papageno e Papagena, e as duas árias da Rainha da Noite.

 

Daiana Melo

 

Mestre em Música pela UFMG e licenciada em música pela UFOP. É professora da Universidade do Estado de Minas Gerais e integrante do Coral Lírico de Minas Gerais.

 

Silvio Viegas

 

Mestre em Regência pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. Esteve à frente das orquestras: Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, por 8 anos; Sinfônica Brasileira; Sinfônica de Minas Gerais; Filarmônica do Amazonas; Orquestra Sinfônica de Roma e Orquestra da Arena de Verona (Itália); Sinfônica do Teatro Argentino de La Plata e Sinfônica do Sodre (Uruguai), entre outras. É o regente titular da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e Professor de Regência na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

 

Considerada uma das mais ativas do país, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Criada em 1976, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais em 2013. Participa da política de difusão da música sinfônica promovida pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, a partir da realização dos projetos Concertos no Parque, Concertos Comentados, Sinfônica ao Meio-dia, Sinfônica em Concerto, além de integrar as temporadas de óperas realizadas pela FCS. Mantém permanente aprimoramento da sua performance executando repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, além de grandes sucessos da música popular. Seu atual regente titular é Silvio Viegas.

Informações

Local

Exibição nas Mídias Sociais da Fundação Clóvis Salgado | facebook.com/fundacaoclovissalgado e no Instagram (@fcs.palaciodasartes)

Horário

Livre