Mostra I S O L A M E N T O | Escola de Tecnologia da Cena do Cefart

10/08

Centro de Formação Artística e Tecnológica - Cefart

A Fundação Clóvis Salgado, por meio da Escola de Tecnologia da Cena, do Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart, realiza a nova Mostra on-line com o título de I S O L A M E N T O, que tem como tema o distanciamento social e seus desdobramentos. A mostra compreende todos os trabalhos finais dos alunos do Curso Básico de Tecnologia da Cena. Este evento possui correalização da Appa – Arte e Cultura.

 

Para acessar a Mostra I S O L A M E N T O, clique aqui.

 

 

Os alunos foram orientados a conectar os trabalhos com um elemento próprio dos módulos de formação da Tecnologia da Cena: Figurino, Cenografia, Iluminação e Sonoplastia, de forma transversal. O suporte final dos trabalhos é, necessariamente, o audiovisual (imagem estática ou em movimento, com ou sem áudio – a critério dos alunos). A ideia da exposição é aproximar ao máximo os visitantes de uma galeria real, por isso as obras terão detalhes das técnicas utilizadas e uma curadoria da disposição das obras.

 

Conforme Fabrício Martins, Coordenador do Programa de Residência para Pesquisas Artísticas do CEFART, quando ficou claro que o status de isolamento social não seria tão breve, a realização da mostra teve que ser reinventada. “Decidimos trabalhar as inquietações dos alunos, decorrentes do distanciamento social, em potência artística, no que há de concreto e no que há de metafórico”, conta. A proposta foi que os alunos criassem, de forma livre, a partir da sua visão particular desse novo paradigma. “Foi dada total liberdade aos alunos para a escolha de seus processos de criação, mas com uma limitação: utilizar somente elementos que possuíam em casa, ou que conseguiam acessar virtualmente. Materiais, ferramentas, suportes, ideias: valia tudo que estivesse disponível nos limites de cada isolamento para a realização da obra”, explica Martins.

 

Já o Coordenador da Escola de Tecnologia da Cena do Cefart, Geraldo Octaviano, ressalta que o ponto de partida para as produções foi externar as angústias vividas nesse momento. “A ideia era falar, dar conta dessas angústias durante a pandemia. O que acontece quando interrompemos o nosso contato presencial com o mundo?”, questiona Octaviano. “A mostra se recriou em todos os âmbitos, não apenas na sua forma de ser apresentada. A limitação do uso de materiais foi o grande desafio: os alunos deviam trabalhar somente com suas limitações, suas angústias, incertezas, medos, frustrações e desejos”, revela.

 

Ainda segundo Octaviano, o período de isolamento social trouxe diversos pontos negativos e positivos, que foram explorados pelos alunos, de forma artística e muito sensível. “A pandemia certamente nos trouxe perdas em diversos aspectos, não só na formação educacional, mas também na possibilidade da troca presencial, elemento fundamental no crescimento do artista. Por outro lado, evidentemente, a pandemia nos trouxe a necessidade de nos reinventar, conceito primordial para o criador. Em geral, na Escola de Tecnologia da Cena, com a pandemia, saímos mais fortes do que entramos”, constata Geraldo Octaviano.

 

Uma reflexão sobre o Isolamento – Envoltos em um mundo de pandemia, somos forçados a nos adaptar a novos padrões de relacionamento. O isolamento social é apontado como o único remédio para evitar o mal. Distância mínima entre pessoas, vestimentas especiais, máscaras, protetores, aventais, capas, óculos especiais, respiradores, viseiras. Quarentenas. Desinfetantes, detergentes (deter-gente?) álcool em gel, sabão, água, muita água. Impossibilidade de apertos de mãos, abraços, carinhos, beijos. Impossibilidade de freqüentar salões de beleza, barbearias, cabeleireiras. Tomar sol na varanda, na janela. Fazer da janela a sala de visita. Tudo isso impõe novas condutas, espaços e figurinos. Tudo isso impõe sentimentos, saudades, desejos, dores, angustias. Tudo isso imposto pelo Isolamento.

 

Escola de Tecnologia da Cena do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart) – A Escola tem como objetivo capacitar profissionais para as funções técnicas associadas a diversas linguagens artísticas. Estruturada de forma modular, conta com quatro módulos de formação ofertados semestralmente. No primeiro semestre são ofertados Iluminação e Sonoplastia. No segundo, Figurinista e Auxiliar de Cenotecnia. Além da carga horária obrigatória, os alunos podem optar por disciplinas de outras áreas de formação e que auxiliam no conhecimento das linguagens cênicas dos cursos ofertados pelo Cefart.

Informações

Local

Centro de Formação Artística e Tecnológica - Cefart