Sinfônica Pop | Carlinhos Brown

09/11 - 10/11

Grande Teatro | Palácio das Artes | Av. Afonso Pena, 1537. Centro. Belo Horizonte

Ajayô! Nos dias 9 e 10 de novembrosábado às 20h30 e domingo às 19h, o Grande Teatro do Palácio das Artes recebe Carlinhos Brown em mais uma edição do Sinfônica Pop.

Pela primeira vez em parceria exclusiva com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Brown se apresenta em duas oportunidades, oferecendo ao público o melhor de um repertório que celebra os maiores sucessos do artista. As apresentações, que têm regência do maestro convidado Rodrigo Toffolo – Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Ouro Preto – aliam o talento do cantor à versatilidade da Orquestra.

Segundo Toffolo, que também faz sua estreia ao lado da OSMG, o programa Sinfônica Pop se faz essencial na desmistificação da música sinfônica como algo inacessível, e tem mostrado resultado muito positivo. “Essa iniciativa é da maior importância. As instituições devem permanecer atentas aos novos públicos, que acabam voltando aos espaços que conheceram pela ótica do pop para descobrirem novas musicalidades”, conta o maestro. As canções foram adaptadas para a orquestra pelas mãos de vários arranjadores renomados: os músicos Fred Natalino, Jaques Morelenbaum, Marcelo Ramos, Mario Adnet e Lucas Araújo.

 O repertório traz composições marcantes da carreira de Carlinhos no grupo Tribalistas, como Amor I Love You, Vilarejo e Velha Infância. Além dos clássicos que ganharam o Brasil nas vozes de Marisa Monte e Arnaldo Antunes, o show também reserva algumas surpresas. “Nos baseamos em um trabalho de Carlinhos como compositor que curiosamente poucas pessoas conhecem. Teremos músicas famosas pela voz de Paralamas do Sucesso e Cássia Eller, por exemplo, que foram compostas por ele. Muita gente irá se surpreender, assim como eu me surpreendi, que músicas tão famosas são da pena, da escrita de Carlinhos”, conta Toffolo. “Estamos trabalhando com todo carinho e atenção ao Carlinhos, que transmite a todos da equipe a importância de sua musicalidade para o país”.

Segundo o maestro, a série Sinfônica Pop é uma oportunidade incrível tanto para a OSMG quanto para o artista. “É a minha primeira experiência no comando da OSMG, estou muito animado e muito feliz com o convite. Sou mineiro e terei a oportunidade de rever colegas e professores na Orquestra”, celebra Toffolo. “Me sinto lisonjeado de poder dividir o trabalho com uma Orquestra tão importante no coração de BH. O Palácio das Artes ainda é, e sempre será, o grande teatro dos mineiros”.

As expectativas do maestro não se atêm apenas ao grande encontro com a orquestra, mas também à grandiosidade do cantor que os acompanhará. “Quanto a Carlinhos, nunca havia trabalho com ele antes. O desafio é sempre a brasilidade, e no caso de Carlinhos, a baihanidade, os ritmos afro-brasileiros que ele trabalha. Acho um desafio mesclar essas duas áreas, e o aprendizado que terei será de suma importância. É um caldeirão multicultural e multimusical. Todos saem ganhando, o público terá um espetáculo de alto nível e belíssimo, a energia é a melhor possível”, conclui.

 Você, a Orquestra e Eu – Segundo Carlinhos Brown, a emoção de cantar no Grande Teatro, ao lado de um grupo tão grandioso, é um prazer imenso. “Essa é a minha primeira oportunidade como compositor e intérprete ao lado da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, a qual teço os maiores elogios pela competência. A minha expectativa é a melhor possível, porque sou da Bahia, onde também nasceram orquestras sinfônicas para todo Brasil”, afirma. O cantor diz estar seguro para se apresentar ao lado da orquestra mineira pelo fato de Minas ser um dos maiores berços da cultura barroca ou do neobarroco musical. “Esse barroquismo traz um compromisso com a cultura mineira, e tudo que Minas expõe está baseado em uma qualidade harmônica e melódica inexplicável. Eu acredito muito na OSMG como acredito em Toninho Horta, Milton Nascimento, todo o Clube da Esquina, Samuel Rosa, Rogério Flausino e tantos outros grandes artistas que Minas abriga”, destaca.

Ao comentar a escolha do repertório, Brown destaca a importância da direção da orquestra, e diz estar ansioso para o encontro. “Com expectativa e curiosidade, eu aguardo os competentes arranjadores para esse resultado tão aguardado. As canções escolhidas traduzem-se ao fato de possuírem melodias fincadas no sinfonismo”. Criador da orquestra de percussão Timbalada, o cantor destaca a importância de trabalhar em coletivo e encontrar um ponto harmônico nas canções. “Para mim, clássico é tudo que perdura no inconsciente coletivo, e a orquestra sinfônica é tão tradicional quanto moderna. Para ouvidos atentos, esse show ganhará uma força enorme. O que é escrito para orquestra se eterniza, e por isso tenho a agradecer a OSMG pela oportunidade”.

O melhor da parceria – Apesar de sua primeira apresentação com a OSMG, Carlinhos já tem costume de se aventurar pela música erudita. “Eu amo esse segmento porque o aprendi muito jovem, e carreguei o sonho de ser um regente de orquestra. O tempo me conduziu para a regência da Timbalada, e ao longo dos anos de carreira, trabalhei com grandes arranjadores musicais como Jaquinho Morelenbaum, João Carlos Martins, Carlos Prazeres e John Powell. Ganhei bastante experiência no fato de aceitar a delícia e a delicadeza de um coletivo que trabalha em função da música”, conta Brown. “E que fique bem claro, eu farei parte da orquestra por mais que ela me considere solista. Solistas podem ser até as composições, mas todos os músicos participando tornam-se um corpo só, e isso me traz um alento para a alma”.

Brown destaca, ainda, a importância de um show dedicado à música popular brasileira. “A Fundação Clóvis Salgado faz um processo de educação musical, no qual a orquestra valoriza e traz nuances melódicas que muitas vezes a música pop termina a sucumbir. Não vamos precisar de sebo de carneiro! Todos deslizarão com facilidade e suavidade fazendo uma bela cama serena e coletiva para os ouvidos presentes. Será uma viagem ao longe com a alma sana e em paz”. Para o artista, não existe nada mais confortável do que se apresentar com uma orquestra. “São vários músicos em torno das canções para que elas aconteçam da melhor forma possível. Quem está com uma orquestra pode relaxar. É um encontro delicioso, e acredito que veremos no entorno desse som os minerais mais puros virem à terra, para nos levarem em uma viagem muito prazerosa”, comemora.

Sobre o Sinfônica Pop – A série Sinfônica Pop é uma iniciativa da Fundação Clóvis Salgado em que a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais convida artistas para apresentar o rico repertório de nossa música popular. Nessa parceria artística, a OSMG mostra toda a sua versatilidade, proporcionando ao público uma forma singular de fruição da MPB. Grandes nomes da música brasileira já se apresentaram ao lado da OSMG como Chico César, Cobra Coral, Elba Ramalho, Filipe Catto, Gal Costa, Luiz Melodia, Mônica Salmaso, Zé Miguel Wisnik, Leila Pinheiro, Lenine e Zizi Possi, entre outros.

Carlinhos Brown – Nascido em 1962, no bairro do Candeal Pequeno, em Salvador, na Bahia, Brown é visto como um dos artistas mais criativos e inovadores do atual cenário da música brasileira. Com múltiplas facetas, Brown se destaca como cantor, músico, produtor, compositor, arranjador, agitador cultural e jurado dos programas da Rede Globo The Voice e The Voice Kids. Além da música, Carlinhos Brown tem se dedicado a desenvolver a sensibilidade nas artes visuais. Passou pelos estúdios WR, onde aprendeu técnicas de gravação e participou da banda Acordes Verdes, de Luiz Caldas, que projetou a música baiana para o Brasil. Ainda nos anos 80, Brown passou a integrar, como percussionista, a banda de Caetano Veloso, durante a turnê “Estrangeiro”. No final dos anos 1980, reuniu dezenas de percussionistas e fundou a Timbalada. Grandes artistas da Música Popular Brasileira registraram em seus álbuns canções compostas por ele, como Maria Bethânia, Gal Costa, Caetano Veloso, Marisa Monte, Nando Reis, Cássia Eller, Herbert Vianna e até mesmo a banda de heavy metal Sepultura. Quinze anos depois do lançamento do disco “Tribalistas” (2002), Carlinhos Brown se reuniu novamente com Marisa Monte e Arnaldo Antunes para lançar o segundo álbum homônimo, em 2017.

Orquestra Sinfônica de Minas Gerais – Criada em 1976, a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, corpo artístico gerido pela Fundação Clóvis Salgado, é considerada uma das mais ativas orquestras do país. Em 2013, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado de Minas Gerais. Em permanente aprimoramento da sua performance, a OSMG cumpre o papel de difusora da música erudita, diversificando sua atuação em óperas, balés, concertos e apresentações ao ar livre, na capital e no interior de Minas Gerais. Executa repertório que abrange todos os períodos da música sinfônica, do barroco ao contemporâneo, além de grandes sucessos da música popular, com a série Sinfônica Pop. Em 2016, o belo-horizontino Silvio Viegas assume o cargo de regente titular do Corpo Artístico. Antes dele, foram responsáveis pela regência: Wolfgang Groth, Sérgio Magnani, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Aylton Escobar, Emílio de César, David Machado, Afrânio Lacerda, Holger Kolodziej, Charles Roussin, Roberto Tibiriçá e Marcelo Ramos.

Rodrigo Toffolo – Regente convidado – É Regente Titular e Diretor Artístico da Orquestra Ouro Preto. Doutorando em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa, Mestre em Musicologia pelo Departamento de Pós-Graduação em Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, estudou regência com o maestro e compositor Ernani Aguiar. Em 2015, ganhou o Prêmio da Música Brasileira, categoria MPB, pelo CD “Valencianas: Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto”, sendo também finalista em 2017, na categoria Erudito pelo CD “Latinidade: Música para as Américas”. Em 2017 recebeu o Prêmio Profissionais da Música, categoria Orquestras. Conta ainda com a indicação ao Grammy Latino em 2007 pelo CD “Latinidade”, ao lado de Rufo Herrera. Sua produção atual contempla 11 CDs e 7 DVDs, além do livro infantil “Amiga Música”, lançado pela Editora Moderna com ilustrações de Ziraldo e Mig.

Este evento tem correalização da APPA – Arte e Cultura.

 

Informações

Local

Grande Teatro | Palácio das Artes | Av. Afonso Pena, 1537. Centro. Belo Horizonte

Horário

Dia 9 de novembro: 20h30

Dia 10 de novembro: 19h

Duração

1h10min

Classificação

8 anos

Informações para o público

31 3236-7400