Objetivos

Na edição de 2018 dos Editais de Fotografia da FCS, a fotógrafa Letícia Lampert chega à CâmeraSete com a mostra Práticas para destrinchar a cidade, que tem período expositivo de 18 de abril a 7 de julho.

O gesto lúdico de desmontar um mecanismo complexo para analisar suas partes, como quem quer entender como ele funciona, é a origem dos diferentes trabalhos reunidos na mostra Práticas para destrinchar a cidade –  primeira exposição individual da artista Letícia Lampert fora de sua cidade natal, Porto Alegre. 

Utilizando da ideia de uma cidade genérica, sem uma paisagem marcante, a fotógrafa explora a falta de perspectiva dos edifícios, a proximidade sufocante entre prédios e a impossibilidade de ver o horizonte ou resquícios naturais do ambiente – características comuns a muitos centros urbanos que passaram por períodos de crescimento acelerado e, geralmente, sem planejamento. 

Composta por quatro séries, a exposição busca apreender a paisagem urbana, cada vez mais natural para quem vive nas grandes cidades. Segundo Letícia, na série Topografia do Horizonte (políptico formado por cerca de 60 imagens), “o céu é reduzido a pequenas formas geométricas quando recortado de fotografias tiradas em áreas centrais, ganhando formato abstrato, como se tratasse de pequenos pedaços espalhados pela cidade”. Já em Topiaria Urbana, a artista explora o pouco de verde que ainda resta na paisagem urbana e que perde suas formas naturalmente orgânicas para ganhar limites retos e definidos através das construções a sua volta. 

Na instalação fotográfica Estudos para organizar a paisagem, as imagens impressas em grande formato são recortadas e remontadas diretamente na parede. “Brinco com a falta de sentido deste emaranhado de concreto e tento trazer a magnitude da escala urbana para o espaço expositivo”, explica a artista. Por fim, a série Como Destrinchar a paisagem apresenta duas vistas urbanas desmontadas nos seus elementos mais mínimos, trazendo, de forma literal, o conceito que norteia toda a pesquisa de Letícia.

“Gosto de estar em diferentes cidades e notar como a minha percepção reage ao entorno, além de coletar, por meio da fotografia, características recorrentes e, geralmente, reordenar ou ressignificar depois”, afirma a artista. Expor na CâmeraSete permitiu à Letícia experimentar outros formatos e dimensões que até então eram apenas ideias no papel. “Espero que esta experimentação possa abrir o debate em relação à fotografia nos dias de hoje e que possa sensibilizar a percepção sobre a paisagem urbana, fazendo as pessoas olharem as coisas de uma forma diferente”, conclui.

Sobre a artista

Letícia Lampert nasceu em Porto Alegre (RS), em 1978. Com formação em Artes Visuais, Design e mestrado em Poéticas Visuais, a artista vem desenvolvendo sua produção principalmente através da fotografia. Tem como eixo principal de pesquisa a investigação sobre as formas de compreender a paisagem, especialmente urbana, e as relações, mediadas pela arquitetura, que estabelecemos com as cidades. Teve seu trabalho destacado em salões e prêmios tais como o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas - Fotografia, em 2009, Prêmio Aquisitivo no Salão Unama de Pequenos Formatos, em 2012, Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger e III Prêmio Itamaraty de Arte Contemporânea, ambos em 2013, entre outros. Participou de residências artísticas no Brasil e no exterior sendo elas The Swatch Art Peace Hotel - China, Residência FAAP e Hermes – São Paulo, Kaaysá – Boiçucanga e Pier 2 - Taiwan. Desde 2016 tem ministrado oficinas sobre arte, fotografia e publicações independentes em diferentes cidades do Brasil. 

 

Data de início

18 de Abril de 2018

Data de término

07 de Julho de 2018

Endereço

CâmeraSete - A casa da Fotografia de Minas Gerais (Av. Afonso Pena, 737)

Preço

Entrada Gratuita

Mais informações

EVENTO
Edital de Ocupação de Fotografia 2018 | Letícia Lampert

HORÁRIO
Terça a sábado das 9h30 às 21h

ENTRADA GRATUITA

CLASSIFICAÇÃO LIVRE   

INFORMAÇÕES PARA O PÚBLICO
(31) 3236-7400