Conversa com Felipe Scovino | Itaú Cultural

publicado por Fernanda Sanglard em 29 de agosto 2019

Foto: Paulo Lacerda

A Fundação Clóvis Salgado, em parceria com o Instituto Itaú Cultural, realiza na quinta-feira, 5 de setembro, uma conversa com o curador da exposição Narrativas em Processo – Livros de Artista na Coleção Itaú Cultural, Felipe Scovino, que ocupa a Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes, até 29 de setembro. Com a proposta de aproximar o público das diferentes temáticas que permeiam a exposição, a conversa com Scovino é voltada para estudantes, artistas, curadores, professores, profissionais da área e artes visuais e quem mais se interessar.

Ao longo da conversa, o curador também vai explicar aos visitantes a expografia da mostra, os núcleos em que cada livro de artista foi inserido na Grande Galeria entre outros detalhes importantes, uma vez que o recorte que está exposto no Palácio das Artes apresenta outras possibilidades interpretativas.

Foto: Paulo Lacerda

“Acompanhando a criação de novos procedimentos para a concepção de livros de artista, a exposição constitui diversas relações para o leitor”, avalia Scovino. Uma delas é a pluralidade de ações não só com a literatura e as artes visuais, como também com o design, a política e em alguns momentos com a música. “Também se verifica uma leitura que não se esgota, que se desdobra redefinindo o papel do livro, do leitor e o do artista”, observa o curador.

Narrativas em Processo – Livros de Artista na Coleção Itaú Cultural apresenta um conjunto de 46 obras, que abarcam 84 anos de confecção deste tipo de livro por artistas brasileiros, na transição entre o moderno e o contemporâneo, e revelam como a participação e a invenção artística traçam fronteiras com a literatura e o design.

Doze obras que estão nesta exposição são inéditas. Gravuras do Album Anamorfas (1980), de Regina Silveira; O Meu e o Seu – Impressões do nosso tempo (1967) e gravuras deste álbum, um duplo conjunto de Antonio Henrique Amaral. Novidades são, ainda, Caixa de Retratos (2010), de Marcelo Silveira; De Arte (2001) e A Simétrica (1995), de Waltercio Caldas.

Encontra-se, também, de João Camara e Gastão de Holanda, Lito 70 (1969). Um grupo de artistas assina Gravuras Gaúchas (1952) – Ailema Bianchetti, Carlos Alberto Petrucci, Carlos Mancuso, Carlos Scliar, Danubio Villamil Gonçalves, Edgar Koetz Fortunato, Gastão Hofstetter, Glauco Rodrigues, Glenio Bianchetti, Plinio Bernhardt e Vasco Prado.

 

Este evento tem correalização da APPA – Arte e Cultura.

 

CONVERSA COM FELIPE SCOVINO

Data: 5 de setembro (quinta-feira)

Horário: 19h

Local: Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard | Palácio das Artes

Endereço: Av. Afonso Pena, 1.537 – Centro

Entrada gratuita