Concertos da Liberdade | Minha Terra - Ano da Música Tcheca

02/04/24 - 03/04/24

Grande Teatro Cemig Palácio das Artes

Foto: Paulo Lacerda

Uma das mais presentes tradições na Música Clássica sugere que os anos terminados em 4 sejam celebrados como anos da Música Tcheca, em razão de marcarem o aniversário de figuras célebres que ajudaram a construir a tradição secular e erudita do país. Pensando nisso, a Fundação Clóvis Salgado e o Consulado Geral da República Tcheca firmaram uma parceria para apresentar em abril o concerto “Minha Terra”, que irá unir mais uma vez no palco a Orquestra Sinfônica e o Coral Lírico de Minas Gerais, ao lado de convidados do Brasil e do exterior. O nome faz referência à clássica obra “Má Vlast” (em tcheco, Minha Terra), um conjunto de seis poemas sinfônicos escritos por Bedřich Smetana. 

 

Além de Smetana (1824 – 1884), o programa será composto por obras de Antonín Dvořák (1841 – 1904) e Leoš Janáček (1854 – 1928). A regência será do maestro Cláudio Cruz, Diretor Musical e Maestro Titular da Orquestra Jovem do Estado de São Paulo. O concerto terá a participação da soprano tcheca Nikola Uramová. Confirmada também a presença do premiado barítono mineiro Filipe Santos.  

 

O Ministério da Cultura, o Governo de Minas Gerais e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam “Minha Terra – Ano da Música Tcheca”. As atividades da Fundação Clóvis Salgado têm Patrocínio Master da Cemig e Instituto Cultural Vale, Patrocínio Prime do Instituto Unimed-BH e da ArcelorMittal e Correalização da APPA – Arte e Cultura. Governo Federal. Brasil – União e Reconstrução.

 

No dia 2 de abril, terça-feira, será apresentada ao público mais uma edição do projeto “Sinfônica ao Meio-Dia”, com parte do programa e entrada gratuita. O concerto será no dia 3 de abril, quarta-feira, às 20hs, no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, com ingressos a partir de 15 reais. As entradas estão à venda no link: https://www.eventim.com.br/artist/concertos-liberdade/concertos-da-liberdade-minha-terra-ano-da-musica-tcheca-3595936/ 

 

História – De acordo com a União Cultural Tcheco Brasileira (UCTB), os primeiros imigrantes tchecos no Brasil vieram para Minas Gerais, a partir de 1823, após saírem das redondezas da cidade de Třeboň, sul da Boêmia, onde nasceu o avô do ex-presidente Juscelino Kubitschek.   

 

Na visão do maestro Cláudio Cruz, as obras dos três compositores escolhidos guardam entre si uma convergência nacionalista e a defesa dos aspectos mais tradicionais do folclore e da identidade cultural da República Tcheca. “A obra mais popular do concerto certamente é o poema sinfônico ‘Moldávia’, composto por Smetana. A peça é uma celebração do Moldávia, maior rio do país e historicamente muito importante também por atravessar a capital Praga”, afirma.

 

Ainda segundo Cruz, a música tcheca ganhou notoriedade justamente por sua beleza e simplicidade. “Privilegiamos no programa obras populares que serão facilmente absorvidas pelo público. Fiquei extremamente satisfeito ao receber o convite da minha amiga, a maestra Ligia Amadio, para apresentar em Minas Gerais este repertório tão marcante e ao mesmo tempo tão abrangente”, conclui. 

 

Programa:

1- Smetana B. – Ópera A Noiva Vendida: “Dança dos Comediantes”

2- Smetana B. Ópera Hubička, ária de Barce: “Proclame o bom dia do pássaro”

3- Smetana B. – Ópera Hubička, ária: de Vendulka: “Vamos meu anjinho”

4- Smetana B. – Ópera A Noiva Vendida, ária de Marenka: “se eu soubesse algo assim sobre você” 5- Smetana B. – “Moldavia”, do poema sinfônico “Minha Pátria” (Má Vlast)

6- Dvorak A. – Ópera Jakobín, ária de Terinka: “Oh meu Deus, meu Deus”

7- Janacek L. – Ópera Sua madrasta, ária: de Jenufa: “Salve, rainha”

8- Dvorak A. – Ópera Rusalka, ária de Rusalka: “Lua do céu profundo”

9- Dvorak A. – “Dança Eslava” Nr 8, op.46

10- Dvorak A. – “Te Deum”

 

FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO – Com a missão de fomentar a criação, formação, produção e difusão da arte e da cultura no Estado, a Fundação Clóvis Salgado (FCS) é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult). Artes visuais, cinema, dança, música erudita e popular, ópera e teatro, constituem alguns dos campos onde se desenvolvem as inúmeras atividades oferecidas aos visitantes do Palácio das Artes, CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais – e Serraria Souza Pinto, espaços geridos pela FCS.  A Instituição é responsável também pela gestão dos corpos artísticos – Cia de Dança Palácio das Artes, Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais –, do Cine Humberto Mauro, das Galerias de Arte e do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart). A Fundação Clóvis Salgado também é responsável pela gestão do Circuito Liberdade. Em 2020, quando celebrou 50 anos, a FCS ampliou sua atuação em plataformas virtuais, disponibilizando sua programação para público amplo e variado. O conjunto dessas atividades fortalece seu caráter público, sendo um espaço de todos e para todos.

Informações

Local

Grande Teatro Cemig Palácio das Artes

Horário

02/04 – 12h

03/04 – 20h

Classificação

Livre

Informações para o público

(31) 3236-7400