Letras podem ser imagens?

O Cineminha On-line tem um convite a fazer: experimente “vler” o mundo! Assista ao curta-metragem “Para Vler Poesia” e descubra como:

Ficha técnica 

Filme: Para Vler Poesia

Local: Belém, Pará, Brasil

Ano: 2012 (reeditado em 2014)

Duração: 3 minutos

Direção e produção: Andrei Miralha e Marcílio Costa

Roteiro: Marcílio Costa

Animação, storyboard e desenhos conceituais: Andrei Miralha

Trilha sonora: André Moura

Voz: Rafael Miralha

Produtora: Iluminuras Estúdio de Animação

Para refletir:

Poesias são formadas por palavras, que são formadas por letras. Pense na ação de escrever. A mão balança e move o lápis, deixando a marca dos movimentos no papel. Isso lembra a você alguma outra ação? O que acontece quando desenhamos? 

Quando escrevemos, assim como quando desenhamos, estamos fazendo surgir linhas retas, linhas curvas e muitos pontos, subindo e descendo, para lá e para cá, como uma dança do lápis sobre o papel. Desenhar, escrever, dançar… Quantas possibilidades existem em cada movimento do nosso corpo, em cada ação, em cada contato com as coisas do mundo? Viver é pura poesia!  

Imagem: Divulgação.

Curiosidades:

“Vlendo” as coisas do mundo…  É assim que o menininho de “Para Vler Poesia” vive sua vida, enxergando poesia em tudo que há! A palavra “vler”, que faz parte do título do curta-metragem que acabamos de assistir, é uma palavra inventada, uma mistura de ver e ler. O barco, os bichos, a chuva, tudo isso se transforma em poesia na cabeça do menino e, quando passada para o papel, se transforma também em imagem, “ganhando vida”. Criar poesias que formam também imagens é algo tão divertido que existiu até um grupo de poetas brasileiros, chamados de concretistas, que se dedicava a criar assim.     

Aqui, no Cineminha On-line, já falamos sobre palavras e poesia antes, quando indicamos o curta-metragem “Histórias da Unha do Dedão do Pé do Fim do Mundo”. Clique aqui para relembrar.  

Imagem: Divulgação.

Atividade:

Como já foi dito, as letras, além de terem a função de formar palavras, que constroem textos diversos, também podem ser usadas para compor imagens. Nesse caso, suas formas são usadas de modo mais livre, diferente do que estamos acostumados. Um “A” pode virar uma barraca ou um chapéu pontudo. No vídeo, por exemplo, vemos o garoto brincando com as letras e criando cenas em que elas formam bichos. Você já experimentou criar figuras a partir de letras? Que tal tentar? 

Para isso, você pode recortar várias letras de revistas, jornais ou outros materiais impressos, de cores e tamanhos variados. Com as letras recortadas, você irá experimentar várias formas de juntá-las, até achar uma que você goste. Pode até criar uma figura que não se pareça com nada que exista. Experimente: brinque de usar uma única letra, repetida várias vezes, só vogais ou, ainda, todas as letras do alfabeto para compor sua imagem. 

Após criar a combinação, você pode colar as letras, se quiser guardar a figura que inventou. Caso não tenha materiais impressos de onde recortá-las, você pode desenhá-las, inventando jeitos diferentes de escrever.  

Imagem: Ana Emerich.

Compartilhe fotos da sua criação com a gente! Publique em suas redes sociais usando as hashtags #cineminhaonline, #educativofcs e também @fcs.palaciodasartes no Instagram.

Sobre as autoras:

Ana Luiza Emerich é licenciada em Artes Visuais, mestra em Artes, professora da Rede Estadual de Ensino, professora e mediadora na Escola de Artes Visuais do Cefart – FCS.

Naiara Rocha é bacharel e licenciada em Artes Visuais, graduada em Pedagogia, professora da Rede Municipal de Educação/BH, mediadora e professora na Escola de Artes Visuais e na Escola de Tecnologia da Cena do Cefart – FCS.