Cia. de Dança Palácio das Artes estreia a intervenção “indanumtapronto”

22/11

Exibição por meio do YouTube da Fundação Clóvis Salgado | YouTube.com/palaciodasartesmg

Desde o último mês de julho, a Cia. de Dança Palácio das Artes apresentou três edições do (in)tensões on-line, intervenção artística criada para que as bailarinas dirigissem os homens. Agora, a ordem inverteu e os homens farão a direção de uma nova intervenção, dessa vez, intitulada “indanumtapronto”, que, como o próprio nome sugere, é um processo de criação artística que ainda está aberto. Christiano Castro, Jorge Ferreira e Lucas Resende, três bailarinos da CDPA, ficaram a cargo da direção da obra, que é inspirada nos vídeos coletivos da CDPA, frutos de processos criativos que aconteceram desde o início da pandemia. A apresentação acontece neste domingo (22/11), às 16h, e será transmitida pelo canal da FCS no YouTube. Esse evento integra a programação do Palácio em Sua Companhia, realizado pela Fundação Clóvis Salgado, e tem a correalização da Appa Arte e Cultura.

Além da direção, o elenco masculino da Cia. de Dança também se dividiu em núcleos neste processo de criação da obra. Fernando Cordeiro e Ivan Sodré assinam a assistência de direção. Já Léo Garcia, Pablo Garcia, Paulo Weslley e Renato Augusto são responsáveis pela produção do projeto.

Para Christiano Castro, a narrativa desta intervenção está sendo construída de forma a criar um diálogo entre muitos aspectos das obras realizadas pela Cia. de Dança desde o início do ano. “A ideia surgiu da vontade de revisitar e aprofundar os materiais que nós produzimos nos vídeos feitos na quarentena. São materiais muito bons e diversos, então queremos destrinchar eles com o intuito de ressignificá-los, propor um novo olhar sobre o trabalho que trouxemos nas últimas apresentações”, observa Castro. Jorge Ferreira complementa explicando que “o aprofundamento desse material consiste na tentativa de encontrar possibilidades e possíveis desdobramentos para além dos vídeos que produzimos”.

Segundo Ferreira, as cenas desenvolvidas até o momento foram criadas “a partir de uma relação que se instalou entre corpo, espaço e objeto. E, nesse caso, o objeto é uma cadeira, ou várias cadeiras”.  O bailarino também explica que, por serem três diretores trabalhando juntos para desenvolver a mesma apresentação, o trabalho conta diferentes formas de abordar o mesmo assunto. “Construímos nossas cenas separadamente sabendo que tínhamos um elemento em comum, e o interessante é observar como esse elemento se manifesta em cada proposta, e como cada corpo reage a esse elemento”, conta Ferreira.

 

A relação com o contexto pandêmico

 

Relacionando a performance com a atualidade caótica proporcionada pela Covid-19, Lucas Resende, também um dos diretores do projeto, conta que a criação do grupo é atravessada pela singularidade das diferentes percepções que os bailarinos têm desse momento e que, consequentemente, elas são reveladas pelo modo como cada diretor e criador pretende retratar este momento na apresentação.

Ao falar do desafio que a pandemia da Covid-19 impõe ao trabalho feito pelo grupo, Resende ressalta que a Cia. de Dança já havia utilizado as mídias sociais como ferramenta para expor o trabalho, mas não como a única disponível. Ele ainda elenca algumas vantagens presentes na realização do projeto de forma on-line: “Sinto que as vantagens consistem no desenvolvimento de novas formas de comunicação, de transmissão da ideia, e a possibilidade de se reinventar. É mais uma ferramenta para a gente ampliar o nosso trabalho”.

A performance completa tem estreia marcada para dezembro deste ano, com data e horário a serem definidos.

 

Informações

Local

Exibição por meio do YouTube da Fundação Clóvis Salgado | YouTube.com/palaciodasartesmg

Horário

16h