História Permanente do Cinema Especial | Neorrealismo Italiano

12/07/21 - 26/07/21

Plataforma cinehumbertomauroMais e Canal da FCS no YouTube

Roma, Cidade Aberta (1945), de Roberto Rossellini

 

A Fundação Clóvis Salgado apresenta, por meio do Cine Humberto Mauro, um novo ciclo da série de debates História Permanente do Cinema. A partir do dia 12 de julho 2021 (segunda-feira), três filmes do movimento Neorrealismo Italiano entram cartaz na plataforma CineHumbertoMauroMais, e permanecem até o dia 26 de julho 2021 (segunda-feira) com acesso gratuito. Os longas Roma, Cidade Aberta (1945), de Roberto Rossellini, A Terra Treme (1948), de Luchino Visconti, e Ladrões de Bicicleta (1949), de Vittorio De Sica, serão contemplados com sessões especiais de debates que acontecem nos dias e 13/07, 15/07 e 20/07, respectivamente, às 19h, pelo canal da FCS no YouTube e pela plataforma CineHumbertoMauroMais. Durante os bate-papos, o público poderá interagir com comentários e perguntas, que serão respondidas pelos debatedores. Além disso, os bate-papos também ficarão disponíveis nas plataformas após as transmissões.

 

Ladrões de Bicicleta (1949), de Vittorio De Sica

Neorrealismo Italiano – O movimento chega em respostas às atrocidades cometidas pelo regime fascista de Benito Mussolini durante a Segunda Guerra Mundial. Mussolini foi um dos fundadores dos estúdios cinematográficos Cinecittà, denominado “Hollywood Italiana”. Naquela época, o cinema italiano era, de um modo geral, constituído por comédias inspiradas no cinema norte-americano, com forte exaltação ao estilo de vida da burguesia.

Com a morte de Mussolini e o bombardeio à Cinecittà, cineastas engajados foram para as ruas na busca de retratar uma Itália destruída pela guerra. Os longas foram produzidos com o uso de atores amadores, tratando de temas sociais, com ênfase no cidadão comum e preocupação com o passado recente fascista. Com grande espontaneidade e influência documental, os diálogos eram normalmente improvisados, e havia menos preocupação com grandes artifícios estéticos – como iluminação, fotografia e edição. Essa forma de fazer cinema, que unia a realidade social com a prática cinematográfica, inaugurou o chamado Cinema Moderno, e teve grande influência nas décadas seguintes, norteando e inspirando movimentos como o Cinema Novo no Brasil e a Nouvelle Vague Francesa.

 

Governo de Minas Gerais e a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, por meio da Fundação Clóvis Salgado, apresentam História Permanente do Cinema Especial: Neorrealismo Italiano. As atividades da Fundação Clóvis Salgado têm a correalização da APPA – Arte e Cultura e patrocínio master da CemigAngloGold Ashanti e Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

¹ O patrocínio da Unimed-BH e do Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores.

 

 

PROGRAMAÇÃO | DEBATES

 

13/07 | 19h

Roma, Cidade Aberta (Roberto Rossellini, 1945) | 14 anos | 103′

Sinopse: Roma, 1944. Um dos líderes da Resistência, Giorgio Manfredi (Marcello Pagliero), é procurado pelos nazistas. Giorgio planeja entregar um milhão de liras para seus compatriotas. Ele se esconde no apartamento de Francesco (Francesco Grandjacquet) e pede ajuda à noiva de Francesco, Pina (Anna Magnani), que está grávida. Giorgio planeja deixar um padre católico, Don Pietro (Aldo Fabrizi), fazer a entrega do dinheiro. Quando o prédio é cercado, Francesco é preso pelos alemães e levado para um caminhão. Gritando, Pina corre em sua direção e é metralhada no meio da rua. Giorgio foge para o apartamento de sua amante, Marina (Maria Michi), sem imaginar que este seria o maior erro da sua vida.

Debate com a cineasta e pesquisadora Maria de Fátima Augusto.

 

15/07 | 19h

A Terra Treme, de Luchino Visconti (La Terra trema, ITA, 1948) | 14 anos | 160′

Sinopse: Logo após a Segunda Guerra Mundial, um jovem pescador, junto com a sua família, se revolta contra a exploração que sofre dos seus superiores no porto de Catania, na Sicília. Eles então hipotecam a casa e fundam seu próprio comércio para tentar escapar dos patrões. Só que sem conseguir ajuda de ninguém, eles vão se deparar com muitas dificuldades, e descobrir que a realidade desse modo é ainda mais dura.

Debate com o ensaísta, curador e pesquisador de cinema Luis Felipe Flores. Doutor em Comunicação Social no PPGCOM-UFMG, com tese sobre o cineasta alemão Harun Farocki. Mestre em Cinema na EBA-UFMG, com dissertação sobre o cineasta franco-alemão Max Ophuls. Ensaísta, crítico e pesquisador de cinema, colaborou para diversas revistas e catálogos de mostras. Co-organizou as retrospectivas de Rithy Panh e Trinh T. Minh-ha no Brasil. Curador do CineCipó e da Lona. Foi curador do Festcurtas BH (2015, 2016 e 2017) e do forumdoc.bh (2015). Atua também como professor e tradutor.

 

 

 

 

20/07 | 19h 

Ladrões de Bicicleta, de Vittorio De Sica (Ladri di biciclette, ITA, 1948) | 10 anos | 93′

Sinopse: Em Roma um trabalhador de origem humilde, Antonio Ricci (Lamberto Maggiorani), luta para sustentar a família. Precisando de uma bicicleta para começar em um novo emprego, Ricci penhora as roupas de cama da casa. Para desespero da família, a bicicleta é roubada e Antonio sai junto com o filho Bruno (Enzo Staiola) para procurá-la pela cidade.

Debate com a pesquisadora e professora Glaura Cardoso Vale. Ensaísta e produtora editorial, atua como pesquisadora nas áreas de audiovisual, cinema e as outras artes. Doutora em Estudos Literários (FALE/UFMG), com estágio na UCP/Lisboa, foi residente pós-doutoral em Comunicação Social junto ao PPGCOM/UFMG, programa no qual desenvolve, no seu segundo doutorado, pesquisa sobre performatividade em Glauber Rocha. Integra os grupos de pesquisa Mídia e Narrativa (PUC Minas) e Poéticas da Experiência (UFMG). Publicou “A mise-en-film da fotografia no documentário brasileiro e um ensaio avulso” (Relicário Edições, 1ª ed. 2016, 2ª ed. 2020). Tem se dedicado ao editorial de catálogos de mostras e festivais de cinema, como  FestCurtasBH, forumdoc.bh e Semana de Cinema Negro de Belo Horizonte.

 

Informações

Local

Plataforma cinehumbertomauroMais e Canal da FCS no YouTube