FachadaPL00092

A história da Fundação Clóvis Salgado - FCS inicia-se com a inauguração da Grande Galeria, em 30 de janeiro de 1970, no Palácio das Artes. Cria-se, então, a Fundação Palácio das Artes - FPA para administrar e conduzir as obras em andamento, em 1970.  Em 1978, foi alterada a denominação da FPA, para Fundação Clóvis Salgado, em homenagem à atuação do médico, professor e político que foi o responsável maior pelo levantamento dos recursos financeiros para a retomada das obras e conclusão do Palácio das Artes.

No início do século XX, em 21 de outubro de 1909, foi inaugurado na esquina das ruas Bahia e Goiás, o Teatro Municipal. O local integrou-se à vida da cidade com intensa e variada programação, passando a ser lugar de celebrações e solenidades oficiais.

Em 1940, considerando o contexto da vida da cidade, o prefeito Juscelino Kubitschek propõe a construção de um novo Teatro Municipal. O desgastado prédio da rua Goiás é reformado e transformado em cinema, em 1942, iniciando-se no ano seguinte as obras do novo teatro.

O conjunto da Pampulha já era uma realidade! JK convoca Oscar Niemeyer para mais uma grande obra. O arquiteto propõe um teatro implantado no parque municipal com ligação à avenida Afonso Pena por uma extensa passarela de concreto.

As obras foram paralisadas em 1945. Sem o seu Teatro Municipal, Belo Horizonte recebe em 1950, em caráter provisório, o “teatro de emergência”, que receberia mais tarde o nome de “Teatro Francisco Nunes”. 

Diversos prefeitos se sucederam a JK e poucas tentativas de conclusão das obras foram feitas. Em 1955, o arquiteto Hélio Ferreira Pinto redimensiona o projeto original voltando o acesso do Palácio das Artes para a avenida Afonso Pena, acrescentando outros equipamentos ao teatro. Em março de 1971 o Grande Teatro do Palácio das Artes é inaugurado.

Finalmente, após 30 anos, o templo das artes idealizado por JK torna-se realidade. Outros espaços foram criados posteriormente, como o Cine Humberto Mauro (1978), Teatro João Ceschiatti e Galeria Arlinda Corrêa Lima (1984), Sala Juvenal Dias (1993) e a Galeria Mari’Stella Tristão (2016).

Banner Rodapé Unimed
Banner Rodapé Vivo
Banner Rodapé Globo Minas